Dicas

Mais Dicas

07/02/2018

Pilates em gestantes é a aposta certa para o equilíbrio do corpo e a prevenção de dores na coluna

Técnica também melhora a respiração, a circulação, as câimbras e as lesões, além de ser aliada no pós-parto.

 

O momento mágico vivenciado durante a gravidez pelas futuras mamães pode ser interrompido pelas dores e desconfortos que persistem ao longo dos meses de espera. Isso acontece porque com o ganho de peso durante a gestação, principalmente na região do abdômen, as mulheres sofrem algumas alterações na região lombar devido à ação da gravidade.

Segundo o fisioterapeuta Giuliano Martins, diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRC) e proprietário do ITC Vertebral Ribeirão - instituto especializado no tratamento de lesões na coluna – as lesões mais comuns nesse período são lombalgias, hérnias de disco, crises do nervo ciático e a síndrome de piriforme (dores na região glútea em decorrência de irritação no nervo ciático). “O aumento da curvatura da coluna pode causar a lordose e torna-se quase inevitável o surgimento de problemas”, comenta Martins.

Para aliviar os sintomas, o Pilates é uma alternativa. O método pode ser praticado durante toda a gravidez. A técnica corrige a postura, diminui as dores lombares, as câimbras e as lesões, ativa a circulação, melhora a respiração e reduz o estresse. Além de beneficiar as condições cardiocirculatórias e prevenir o diabetes gestacional. O exercício ainda fortalece a região abdominal e o assoalho pélvico, ajudando tanto no parto quanto na recuperação e cicatrização da mulher no pós-parto.

As interessadas devem buscar o tipo correto de movimentos, sempre com acompanhamento de um especialista. Martins explica que existem treinos de baixo impacto e que são aliados no fortalecimento da região lombar e de toda musculatura paravertebral, abdominal e assoalho pélvico, além dos fortalecimentos e alongamentos de membros inferiores.

O profissional recomenda que após o nascimento do bebê, é preciso tomar alguns cuidados com os movimentos. “As posturas inadequadas podem ser evitadas com o uso de um trocador e de uma banheira na altura dos cotovelos. A mulher deve sempre flexionar os joelhos ao colocar o bebê no berço ou sobre a cama, evitando curvar as costas”, acrescenta. Durante a amamentação, ele sugere também a utilização de uma poltrona confortável em que a coluna fique totalmente apoiada. “São medidas simples, mas que podem evitar dores e desconfortos”, conclui.

Sobre o ITC Vertebral – Fundado pelo fisioterapeuta Helder Montenegro, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRC) e reconhecido como um dos maiores especialistas em tratamento de coluna no Brasil, o Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral iniciou suas atividades em 2005, em Fortaleza (CE).

Em apenas dois anos foram mais de 700 pacientes tratados, com êxito, pelo método RMA. Tais resultados alcançaram grande projeção e o ITC Vertebral passou a receber pacientes de todo o Brasil. Com o aumento da demanda, o ITC Vertebral decidiu formatar a primeira franquia em fisioterapia do país e,  em 2007, deu início à uma expansão que já contabiliza 55 unidades no país. Capitais como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, por exemplo, já contam com mais de uma unidade do Instituto. O ITC Vertebral é afiliado à ABF (Associação Brasileira de Franquias). Em 2010, foi ranqueado pela Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios em primeiro lugar no quesito crescimento econômico e terceira posição em satisfação dos franqueados que, juntos, já trataram mais de 4 mil pacientes.

Por conta do reconhecido trabalho, o ITC Vertebral recebeu convites para demonstrar seus resultados no México, Inglaterra, Holanda, Portugal, Argentina, Chile e Venezuela, países que estão em vias de instalar unidades do Instituto.