Dicas

Mais Dicas

07/02/2018

Posições incorretas durante o sono prejudicam a coluna

Em casos mais graves, dormir de forma errada pode gerar até hérnias de disco; colchão, travesseiro e alongamento adequados são fundamentais na prevenção de problemas.

 

Bom para a pele, memória e aparência física, o sono também é um forte companheiro para uma vida mais longa. Segundo reportagem de abril deste ano do site  O Globo, um estudo feito em 2010 pelas universidades médicas de Warwick e Nápoles, publicada no periódico “Sleep”, revelou que dormir menos do que seis horas aumenta em 12% o risco de morte prematura. Além do pouco tempo de descanso, a posição incorreta durante o repouso pode gerar dores lombares, cervicalgias, torcicolos, escoliose e até mesmo hérnia de disco.

Segundo Giuliano Martins, diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRC) e proprietário do ITC Vertebral Ribeirão - instituto especializado no tratamento de lesões na coluna - é muito simples se prevenir. “O melhor é se sentar, em seguida colocar-se deitado de lado com os joelhos flexionados e um travesseiro entre as pernas. Ao acordar, a pessoa também precisa estar de lado, colocar as pernas para fora da cama se sentar e, posteriormente, sair da cama. Sem esquecer de se espreguiçar e sempre fazer alongamentos”, diz.

Martins explica ainda as melhores maneiras para aumentar o conforto.  “Os travesseiros necessitam de uma altura mediana que preencha o espaço entre a cabeça e o colchão, que, se for de espuma, deve ter a densidade adequada ao peso da pessoa. No caso de casal, prevalece a massa do mais pesado. No caso dos de mola, é preciso que estejam ensacadas, conclui”.

Sobre o ITC Vertebral – Fundado pelo fisioterapeuta Helder Montenegro, presidente da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRC) e reconhecido como um dos maiores especialistas em tratamento de coluna no Brasil, o Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral iniciou suas atividades em 2005, em Fortaleza (CE).

Em apenas dois anos foram mais de 700 pacientes tratados, com êxito, pelo método RMA. Tais resultados alcançaram grande projeção e o ITC Vertebral passou a receber pacientes de todo o Brasil. Com o aumento da demanda, o ITC Vertebral decidiu formatar a primeira franquia em fisioterapia do país e, em 2007, deu início à uma expansão que já contabiliza 55 unidades no país. Capitais como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, por exemplo, já contam com mais de uma unidade do Instituto. 

O ITC Vertebral é afiliado à ABF (Associação Brasileira de Franquias). Em 2010, foi ranqueado pela Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios em primeiro lugar no quesito crescimento econômico e terceira posição em satisfação dos franqueados que, juntos, já trataram mais de 4 mil pacientes.

Por conta do reconhecido trabalho, o ITC Vertebral recebeu convites para demonstrar seus resultados no México, Inglaterra, Holanda, Portugal, Argentina, Chile e Venezuela, países que estão em vias de instalar unidades do Instituto.