COMO ALIVIAR A DOR E EVITAR LESÕES - CONSELHO DE UM FISIOTERAPEUTA E CICLISTA QUE SE CUROU

Atualizado: Out 17

Biomecânica do Ciclismo - Como não sentir dor na bicicleta.

Durante a pandemia, a cidade de Nova York viu um aumento de mais de 60% no número de viagens de bicicleta.

As lojas de bicicletas foram consideradas um serviço essencial quando a cidade fechou. No entanto, como os ciclistas pedalaram mais quilômetros do que nunca, houve um aumento nas lesões por esforços repetitivos relacionados ao ciclismo.



Primeira observação que eu faço: as pessoas aumentaram o volume do exercício, mas não se prepararam para este volume. Desta forma a lesão é praticamente inevitável!

Se você está acostumado a correr 5km 2x por semana, seu volume de treino são 10km por semana, 40km por mês. Seu corpo se acostumou com isso!

Para aumento de volumes, devemos considerar um aumento de 10% a 15% desta distância por mês. Mais do que isso o atleta corre o risco de sofrer lesão.


As lesões mais comuns do ciclismo são tendinite dos tendões da coxa, quadríceps e panturrilha e dores no pescoço e na região lombar.

Alguns desses problemas podem ser resolvidos com um ajuste adequado da bicicleta. Um banco sendo alguns milímetros mais alto, baixo, para frente ou para trás, pode causar dor após quilômetros de pedalada. 

Se a bicicleta não é o problema, devemos olhar para os desequilíbrios dentro de nós.


E é exatamente neste momento que o Fisioterapeuta deve entrar em ação, pensando sempre na prevenção!

Porque você vai esperar a DOR surgir se você pode previnir e não ficar afastado dos treinos?


Recebo diariamente em meus consultórios pacientes que praticam esportes como Corrida, Natação, Ciclismo, Crossfit, Futebol, Basquete, Tênis entre outros e todos eles tem o mesmo perfil: desconhecem a importância da Fisioterapia Preventiva.

Esse é um problema cultural, fomos educados a buscar ajuda "somente" quando já estamos sentindo a dor, mas não recebemos a educação de nossos pais, avós, professores e amigos que o CORRETO é evitar a dor, previnir lesões.


Sim, isso mesmo, da mesma forma que você escova seus dentes para evitar Cáries, da mesma forma que você faz a manutenção preventiva no seu carro para que ele não pare no meio da estrada, devemos fazer o mesmo com os nossos músculos e nossas articulações.


Você não concorda comigo que seria muito melhor investir em prevenção do que em tratamento?


Fazendo um trabalho de prevenção específico você não irá sofrer com dores, não ficará afastado dos seus treinos por conta da lesão, não gastará tempo e dinheiro com medicamentos, exames, consultas e tratamentos, não perderá eventos e festas por conta das dores que te incapacitam, prejudicará seu trabalho para poder se dedicar ao tratamento e corre o risco ainda de ter que ser submetido a procedimentos cirúrgicos.


Por isso estou aqui hoje para te ensinar o que todos nós já deveríamos saber, mas infelizmente por falta de informação, ninguém nos contou: FAÇA UM TRABALHO PREVENTIVO. Você só tem a ganhar.

Vamos tornar a prevenção um hábito comum em nossas vidas!


E quando falo de prevenção não me refiro apenas a Fisioterapia ou fortalecimento.

É importante também se alimentar bem, boas noites de sono, fazer aquecimento antes do seu esporte e alongamentos após a atividade física e descansar a mente após o trabalho e aos finais de semana.


Tem uma frase que gosto muito de usar nos meus textos e no meu dia a dia que diz:

"seu nível de sucesso raramente excederá seu nível de desenvolvimento pessoal, pois o sucesso é algo que você atrai pela pessoa em que se torna".

Transcrevendo para o contexto aqui deste blog, imagine que sucesso é poder treinar e não ter dor. Desta forma você jamais alcançará esse "sucesso" se você não se desenvolver pessoalmente (cuidar da sua saúde).



Abaixo coloquei o relato de um Fisioterapeuta Norte Americano que também é CICLISTA, e ele descreve que, mesmo sempre tomando todos os cuidados com a sua preparação, treinos e fortalecimentos, acabou se lesionando! Mas ele mostra a importância da prevenção! Vale a pena a Leitura!


Por Dr. Mark Klion, MD

....certamente 2020 teve seus desafios.

Meu ano começou com uma morte na família, levando ao diagnóstico de "tireoidite aguda". Quando estava recuperando minha energia, Nova York foi devastada pelo COVID-19 e por uma pandemia global.


Com o fechamento de Nova York e minha mudança para os tele-atendimentos, encontrei mais tempo para gastar com minha amiga de confiança, minha bicicleta. Por que não tirar o melhor proveito de uma circunstância infeliz?


Normalmente, em março, começa a minha temporada de corridas de bicicleta. Isso significa, a partir de janeiro, um programa de treinos bem estruturados que inclui despertar às 4h da manhã para subir na bicicleta para treinar pernas e pulmões antes do trabalho.

Eu não tinha ideia de como estaria em forma para correr depois da minha tireoidite, mas como todas as corridas foram canceladas e o ciclismo continuou sendo uma atividade essencial, comecei a aumentar minhas milhas e me concentrar na minha saúde geral e não apenas na forma de corrida.

A primeira coisa que eu queria focar era em um sono adequado. Durante o sono é quando nosso corpo se recupera e se repara para estar pronto para o dia seguinte.


É importante para a cognição, concentração, resolução de problemas, tempo de reação e desempenho geral (mental e fisicamente). Por outro lado, descobriu-se que a falta de sono está correlacionada com um risco aumentado de diabetes tipo 2, doença cardíaca, depressão e derrame. 


O próximo item da minha lista era dieta. Com tempo para fazer compras regularmente e preparar refeições adequadas em casa, eu queria ter certeza de que estava comendo um equilíbrio adequado de frutas, vegetais, grãos inteiros, gorduras saudáveis ​​e proteínas magras. Eu precisava ter certeza de que meu corpo tinha o combustível adequado para minhas viagens diárias. Você não pode operar seu carro com um tanque de gasolina vazio. (Parece que você também não pode tirar minha dose de sorvete todas as noites)


Como fisioterapeuta, sempre tento praticar o que prego. Eu educo os pacientes sobre a importância do alongamento e do fortalecimento para prevenir lesões. As lesões mais comuns do ciclismo são tendinite dos tendões da coxa, quadríceps e Aquiles e dores no pescoço e na região lombar.

Alguns desses problemas podem ser resolvidos com um ajuste adequado da bicicleta. Um banco sendo alguns milímetros mais alto, baixo, para frente ou para trás, pode causar dor após quilômetros de pedalada. 

Se a bicicleta não é o problema, devemos olhar para os desequilíbrios dentro de nós.

Comecei a puxar meu tapete de ioga na sala de estar diariamente para rolar de espuma e alongar meus quadríceps, tendões, panturrilhas e especialmente os rotadores do quadril.


Com o aumento da posição sentada durante o COVID, manter a flexibilidade desses músculos tornou-se ainda mais importante. Também me concentrei em tentar equilibrar o desequilíbrio de força entre minhas pernas direita e esquerda. Os exercícios para isso incluíam ponte com uma perna, conchas e conchas reversas, agachamentos búlgaros divididos e elevações da panturrilha em uma perna. 


Para evitar dores nas costas e pescoço devido ao aumento de quilômetros sendo curvado na minha bicicleta e sentado em frente ao computador, eu desafiei meus amigos para um desafio de prancha e adicionei outros exercícios de postura, incluindo anjos de parede, rotação externa de ombro com faixas e exercícios de estabilização escapular em pronação. 


Entrando no outono, eu me sentia como se estivesse na melhor forma da minha vida! Eu fiz uma viagem para Catskills (não exatamente as Dolomitas que eu estava planejando neste verão para comemorar meu aniversário) para conquistar algumas passagens nas montanhas com alguns companheiros de montaria que preferem as colinas MAIS do que eu.

Como um piloto que geralmente compete em corridas planas do tipo sprint, essa foi uma grande conquista. Não tive meus companheiros esperando muito tempo por mim, mesmo no topo da última escalada de mais de 4 milhas com uma elevação de 1.624 pés e gradientes de mais de 20% conforme nos aproximávamos do cume.


Agora você pergunta, o título disso é “Conselho de um ciclista ferido”, então o que aconteceu?

E depois de tudo isso, se ele está ferido, por que deveríamos ouvi-lo?


Existe uma GRANDE variável que você não pode considerar no ciclismo.

O que acontece quando você, como dizemos, não fica com o lado da borracha voltado para baixo?


Há duas semanas, eu estava pedalando e curtindo o sol no rosto e o vento pelas aberturas do capacete, quando, ao cruzar um cruzamento, um motorista de 18 anos decidiu que faria uma curva à direita, me interrompendo e me derrubando da minha bicicleta.

De todos os resultados possíveis neste cenário, estou feliz em escrever isto com o braço esquerdo em uma tipoia, depois de sofrer apenas uma lesão na articulação acromioclavicular e um pulso ligeiramente torcido. 


Portanto, acho que a moral da história é permanecer o mais saudável possível para evitar lesões, mas às vezes acontecem coisas e, quando acontecem, estar em boa forma o ajudará a voltar ao esporte o mais rápido possível. Vou acabar com uma pancada no ombro que vai me atrasar por algumas semanas, mas já volto! 


Dica do Especialista

Tem dor, NÃO se auto-medique sem saber a causa das suas dores.

Não existe medicamento mágico, pomada, massagem, técnica revolucionária, exercício único! Esqueça isso!

Não existe receita de bolo, ou seja, cada paciente precisa de um tratamento específico para seu caso e por isso uma avaliação é fundamental!

Outra coisa, você pode até fazer um exame, mas não acredite em tudo que vai ler!

Leve este exame a um bom profissional que saiba ler e interpretar bem o laudo, mas faça PRINCIPALMENTE uma boa Avaliação Física utilizando testes Ortopédicos e Neurológicos com embasamento Científico! Só assim você vai tratar o que de fato te causa dor!


No passado as pessoas eram obrigadas a sofrer, pois estas patologias não tinham cura e nem TRATAMENTO. Mas as pesquisas e estudos avançaram e HOJE a Fisioterapia já está conseguindo ajudar a ELIMINAR as dores.


Aqui na clinica (ONE FISIOTERAPIA), realizamos esse processo e estamos colhendo muitos DEPOIMENTOS de pacientes que estão ficando cada vez mais satisfeitos com os resultados.

Clique AQUI para ver os depoimentos.

Está sofrendo com dor?

Então, comece pelo início.

Primeiro você precisa de um profissional totalmente comprometido com a metodologia. É importante saber sua formação e suas qualificações.

Faça uma visita ao Instituto escolhido para ver como se sente, se gosta do ambiente.

Você precisa se sentir à vontade, pois a sessão do Tratamento tem a ver não só com o bem-estar físico, mas também mental.

Marque também um Tele-atendimento. É a melhor forma de ter um primeiro contato com a técnica e o Especialista que irá lhe atender e mostrar seus exames, contar um pouco da sua história, das suas queixas, dos tratamentos que já realizou e não obteve sucesso e tirar TODAS as suas dúvidas.

Que tal agendar um Tele atendimento GRATUITO e conhecer melhor nosso método?

Acesse nosso site clicando aqui e agende AGORA seu atendimento!


#drgiulianomartins, #onefisioterapia, #crossfisio, #dornascostas, #dornoquadril, #lombalgia, #dornacoluna #herniadedisco, #dordecabeça, #ciatico, #artrose, #dornojoelho, #fibromialgia, #dornoombro, #pilates, #quiropraxia, #fisioterapia, #ribeiraopreto, #curitiba, #tratamentosemcirurgia, #ciclismo, #prevencao, #fisioterapiapreventiva

CONTATO

Ribeirão Preto

Rua José Jaime Delibo, 160
CEP 14026-563 - Jardim Nova Aliança

Ribeirão Preto/SP

Curitiba

Av. Silva Jardim, 3161
CEP 80240-021 - Bairro Água Verde - Curitiba/PR

Qual unidade gostaria de falar ?

© 2020 por ONE Fisioterapia. Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Onegate