TRATAMENTOS - COLUNA

LIBERAÇÃO MIOFASCIAL

METODOLOGIA
LIBERAÇÃO MIOFASCIAL

O que é?

Conhecida por relaxar a musculatura e o tecido que envolve os músculos, a liberação miofascial pode ser benéfica para corredores e esportistas em geral.

​Consiste em uma técnica preventiva de lesões e alívio de dores musculares, que aplica pressão em alguns pontos do corpo a fim de liberar a fáscia (tecido fibroso que recobre os músculos do corpo) do músculo. Hoje, essa técnica já é comumente incorporada à fisioterapia para relaxar a musculatura.

É uma técnica bem conhecida entre corredores e praticantes de atividade física em geral como musculação, treino funcional, Pilates e Crossfit.

Acredita-se que o Stretch Roller, rolo usado para liberar tensões, também auxilia na prevenção de possíveis lesões. Isso porque a liberação miofascial atinge de forma mais profunda com pressão o tecido e em especial as fáscias (tecido que envolve os músculos que formam os tendões e ligamentos).

Para que serve?

O mais importante efeito da terapia miofascial é o alívio das dores, sejam elas crônicas, tensionais, pós-treino, patológicas etc. Além disso, o paciente tem maior mobilidade articular, mais liberdade na execução dos movimentos, relaxamento muscular, melhora na capacidade de contração muscular, mais elasticidade, flexibilidade e agilidade, prevenção contra lesões e doenças musculares crônicas etc.

O uso incorreto da musculatura, maus hábitos de postura, treinos intensos, estresse e problemas emocionais causam lesões musculares e, consequentemente, o enfraquecimento da fáscia.​

A pressão excessiva causa nódulos sobre os músculos que são popularmente conhecidos como pontos de gatilhos. Quando isso ocorre, o corpo fica desalinhado e seu funcionamento é afetado. A consequência é imediata no desempenho durante a atividade física e no bem-estar de maneira geral.

Mas afinal, a liberação miofascial previne lesões?

Com o relaxamento da fáscia, é possível prevenir possíveis problemas, sim. 

O que é a fáscia muscular?

A fáscia é uma espécie de membrana formada por tecido conjuntivo, que reveste cada fibra, cada músculo e toda a superfície do corpo. Ela pode ser encontrada em diversas extensões, densidades e espessuras, sendo responsável por fornecer sustentação aos tecidos, além de proteger, coordenar e impedir que haja atrito entre os músculos.

Sempre interligadas umas às outras, o conjunto de fáscias forma os tendões, capazes de fornecer suporte e tração adequados entre o osso e a musculatura, com grande influência no desempenho das funções das estruturas musculares.

Indicações da liberação miofascial?

Entre as lesões musculares ou disfunções da fáscia mais comuns estão as dores, entre as quais destacam-se as lombalgias, ciatalgias, cervicalgias e dorsalgias; as disfunções de origem tendinosa, como a síndrome do túnel do carpo, a síndrome de Dequervain e tendinites em geral; fascite plantar; dores no ombro; síndromes cervicais pós-trauma, entre outros.

A terapia miofascial também é bastante eficaz em tratamentos de recuperação pós-cirúrgica e em cicatrizes pós-traumáticas e pós-cirúrgicas.

As áreas mais conhecidas para o uso da liberação Miofascial são: antebraço, bíceps, tríceps, ombros, glúteos, costas (lombar e trapézios), coxas e panturrilha. “Durante a execução do movimento é comum sentir dor ou leve desconforto. É importante continuar o deslizamento sobre o rolo sobre o local até que a dor desapareça”.​

A sessão de Liberação Miofascial pode ser realizada antes do treino (com o objetivo de associar aos alongamentos e aumentar a mobilidade articular) ou depois do treino (proporcionando relaxamento muscular).

Outro benefício é evitar as doenças conhecidas pela sigla Ler e Dort (lesões por esforço repetitivos e doenças osteoarticulares relacionadas ao trabalho). Síndrome pode levar a diversos problemas, como tendinite, bursite, mialgias, entre outros. São afetados músculos, nervos e tendões dos membros inferiores, além de sobrecarregar o sistema músculo esquelético e provocar dor e inflamação. Em alguns casos, pode alterar a capacidade funcional da região comprometida.

Auto Liberação Miofascial - Faça você mesmo

Dr. Giuliano Martins, Fisioterapeuta da ONE Fisioterapia e Recovery, afirma que você pode fazer a liberação miofascial por conta própria. “A autoliberação pode ser feita sempre antes do treino de corrida como forma de preparação para o alongamento. Para a corrida, o ideal é focar nas cadeias anteriores e posteriores que são as mais exigidas, então a liberação do piriforme, posterior de coxa e quadríceps seriam ótimos exercícios. Como relaxamento pós-corrida, foque na panturrilha e tibial”, recomenda Dr. Giuliano Martins.

CONTATO

Ribeirão Preto

Rua José Jaime Delibo, 160
CEP 14026-563 - Jardim Nova Aliança

Ribeirão Preto/SP

Curitiba

Av. Silva Jardim, 3161
CEP 80240-021 - Bairro Água Verde - Curitiba/PR

Qual unidade gostaria de falar ?

© 2020 por ONE Fisioterapia. Todos os direitos reservados - Desenvolvido por Onegate