DOR NO PESCOÇO COM IRRADIAÇÃO - RADICULOPATIA CERVICAL

A radiculopatia cervical, comumente chamada de "nervo comprimido", ocorre quando um nervo do pescoço é comprimido ou irritado no local onde se ramifica da medula espinhal. Isso pode causar dor que se irradia para o ombro e / ou braço, bem como fraqueza muscular e dormência.

A radiculopatia cervical costuma ser causada por alterações de "desgaste" que ocorrem na coluna à medida que envelhecemos, como a artrite. Em pessoas mais jovens, é mais frequentemente causado por uma lesão repentina que resulta em uma hérnia de disco. Em alguns casos, entretanto, não há episódio traumático associado ao início dos sintomas.

Na maioria dos casos, a radiculopatia cervical responde bem ao tratamento conservador que inclui medicamentos e fisioterapia.



Anatomia Sua coluna é composta por 24 ossos, chamados vértebras, que estão empilhados uns sobre os outros. Esses ossos se conectam para criar um canal que protege a medula espinhal. As sete pequenas vértebras que começam na base do crânio e formam o pescoço compreendem a coluna cervical. A radiculopatia cervical ocorre na coluna cervical - as sete pequenas vértebras que formam o pescoço.

Outras partes de sua coluna incluem:

Medula espinhal e nervos. Esses "cabos elétricos" viajam pelo canal espinhal carregando mensagens entre o cérebro e os músculos. As raízes nervosas se ramificam da medula espinhal por meio de aberturas nas vértebras (forame).

Discos intervertebrais. Entre suas vértebras estão discos intervertebrais flexíveis. Eles atuam como amortecedores quando você anda ou corre. Os discos intervertebrais são planos e redondos e têm cerca de meia polegada de espessura. Eles são compostos por dois componentes:

  • Anel fibroso. Este é o anel externo resistente e flexível do disco.

  • Núcleo pulposo. Este é o centro macio e gelatinoso do disco.


Causa A radiculopatia cervical geralmente surge de alterações degenerativas que ocorrem na coluna vertebral com o envelhecimento ou de uma lesão que causa uma hérnia ou abaulamento do disco intervertebral.

Mudanças degenerativas.

À medida que os discos da coluna envelhecem, eles perdem altura e começam a inchar. Eles também perdem o conteúdo de água, começam a secar e se tornam mais rígidos. Esse problema causa o assentamento ou colapso dos espaços em disco e perda de altura do espaço em disco. À medida que os discos perdem altura, as vértebras se aproximam. O corpo responde ao disco colapsado formando mais ossos - chamados de esporas de osso - ao redor do disco para fortalecê-lo. Essas esporas ósseas contribuem para o enrijecimento da coluna vertebral. Eles também podem estreitar o forame - as pequenas aberturas em cada lado da coluna vertebral por onde saem as raízes nervosas - e beliscar a raiz nervosa. As alterações degenerativas nos discos são freqüentemente chamadas de artrite ou espondilose. Essas mudanças são normais e ocorrem em todos. Na verdade, quase metade de todas as pessoas de meia-idade e mais velhas apresentam discos e nervos comprimidos que não causam sintomas dolorosos. Não se sabe por que alguns pacientes desenvolvem sintomas e outros não.

Hérnia de disco

A hérnia de disco ocorre quando seu centro gelatinoso (núcleo) empurra o anel externo (anel). Se o disco estiver muito desgastado ou lesionado, o núcleo pode ficar totalmente comprimido. Quando o disco herniado se projeta em direção ao canal espinhal, ele pressiona a raiz do nervo sensível, causando dor e fraqueza na área que o nervo fornece. Uma hérnia de disco geralmente ocorre com movimentos de elevação, puxão, flexão ou torção. Em uma hérnia de disco, o centro macio e gelatinoso do disco pode empurrar todo o caminho através do anel externo.


Sintomas Na maioria dos casos, a dor da radiculopatia cervical começa no pescoço e desce pelo braço na área servida pelo nervo danificado. Essa dor geralmente é descrita como ardente ou aguda. Certos movimentos do pescoço - como esticar ou esticar o pescoço ou virar a cabeça - podem aumentar a dor. Outros sintomas incluem:

  • Formigamento ou sensação de "alfinetes e agulhas" nos dedos ou na mão

  • Fraqueza nos músculos do braço, ombro ou mão

  • Perda de sensação

Alguns pacientes relatam que a dor diminui quando colocam as mãos no topo da cabeça. Este movimento pode aliviar temporariamente a pressão na raiz nervosa.

Exame físico Depois de discutir seu histórico médico e saúde geral, seu médico fará perguntas sobre seus sintomas. Ele examinará seu pescoço, ombro, braços e mãos - procurando fraqueza muscular, perda de sensibilidade ou qualquer alteração em seus reflexos. O seu médico também pode pedir-lhe para realizar certos movimentos do pescoço e do braço para tentar recriar e / ou aliviar os seus sintomas.

Raios X

Eles fornecem imagens de estruturas densas, como ossos. Uma radiografia mostrará o alinhamento dos ossos ao longo do pescoço. Também pode revelar se há estreitamento do forame e danos aos discos.

Varreduras de tomografia computadorizada (TC)

Mais detalhada do que uma radiografia simples, a tomografia computadorizada pode ajudar o médico a determinar se você desenvolveu esporões ósseos próximos ao forame na coluna cervical.

Varreduras de ressonância magnética (MRI)

Esses estudos criam imagens melhores dos tecidos moles do corpo. Uma ressonância magnética do pescoço pode mostrar se a compressão do nervo é causada por danos aos tecidos moles, como um disco protuberante ou hérnia. Também pode ajudar o médico a determinar se há algum dano à medula espinhal ou às raízes nervosas.

Eletromiografia (EMG)

A eletromiografia mede os impulsos elétricos dos músculos em repouso e durante as contrações. Os estudos de condução nervosa costumam ser feitos junto com a EMG para determinar se um nervo está funcionando normalmente. Juntos, esses testes podem ajudar o médico a determinar se os sintomas são causados ​​por pressão nas raízes dos nervos espinhais e danos aos nervos ou por outra condição que causa danos aos nervos, como diabetes.

Tratamento É importante observar que a maioria dos pacientes com radiculopatia cervical melhora com o tempo e não precisa de tratamento. Para alguns pacientes, a dor desaparece com relativa rapidez - em dias ou semanas. Para outros, pode demorar mais.

Também é comum que a radiculopatia cervical que melhorou retorne em algum momento no futuro. Mesmo quando isso ocorre, geralmente melhora sem nenhum tratamento específico. Em alguns casos, entretanto, a radiculopatia cervical não melhora. Esses pacientes requerem avaliação e tratamento.

Tratamento Não Cirúrgico O tratamento inicial da radiculopatia cervical não é cirúrgico. As opções de tratamento não cirúrgico incluem:

Colar cervical

Este é um anel acolchoado que envolve o pescoço e é mantido no lugar com velcro. Seu médico pode aconselhá-lo a usar um colar cervical macio para permitir que os músculos do pescoço descansem e para limitar os movimentos do pescoço. Isso pode ajudar a diminuir a compressão das raízes nervosas que acompanham o movimento do pescoço. Um colar macio só deve ser usado por um curto período de tempo, pois o uso de longo prazo pode diminuir a força dos músculos do pescoço.

Fisioterapia

Exercícios específicos podem ajudar a aliviar a dor, fortalecer os músculos do pescoço e melhorar a amplitude de movimento. Em alguns casos, a tração pode ser usada para alongar suavemente as articulações e os músculos do pescoço.


ATENÇÃO

Se você tem dor, NÃO se auto-medique sem saber a causa das suas dores.

Não existe medicamento mágico, pomada, massagem, técnica revolucionária, exercício único! Esqueça isso!

Não existe receita de bolo, ou seja, cada paciente precisa de um tratamento específico para seu caso e por isso uma avaliação é fundamental!


Outra coisa, você pode até fazer um exame, mas não acredite em tudo que vai ler!

Leve este exame a um bom profissional que saiba ler e interpretar bem o laudo, mas faça PRINCIPALMENTE uma boa Avaliação Física utilizando testes Ortopédicos e Neurológicos com embasamento Científico! Só assim você vai tratar o que de fato te causa dor!


No passado as pessoas eram obrigadas a sofrer, pois estas patologias não tinham cura e nem TRATAMENTO. Mas as pesquisas e estudos avançaram e HOJE a Fisioterapia já está conseguindo ajudar a ELIMINAR as dores.


Aqui na clinica (ONE FISIOTERAPIA), realizamos esse processo e estamos colhendo muitos DEPOIMENTOS de pacientes que estão ficando cada vez mais satisfeitos com os resultados.

Clique AQUI para ver os depoimentos.


Está sofrendo com dor?

Então, comece pelo início.

Primeiro você precisa de um profissional totalmente comprometido com a metodologia. É importante saber sua formação e suas qualificações.

Faça uma visita ao Instituto escolhido para ver como se sente, se gosta do ambiente.

Você precisa se sentir à vontade, pois a sessão do Tratamento tem a ver não só com o bem-estar físico, mas também mental.


Marque também um Tele-atendimento. É a melhor forma de ter um primeiro contato com a técnica e o Especialista que irá lhe atender e mostrar seus exames, contar um pouco da sua história, das suas queixas, dos tratamentos que já realizou e não obteve sucesso e tirar TODAS as suas dúvidas.


Que tal agendar um Tele atendimento GRATUITO e conhecer melhor nosso método?

Acesse nosso site clicando aqui e agende AGORA seu atendimento!


#drgiulianomartins #onefisioterapia #crossfisio #metodologiaone #fibromialgia #pilates #quiropraxia #fisioterapia #ribeiraopreto #curitiba #dorcronica #doraguda #fisioterapiaesportiva #quiropraxia #espondilolise #espondilolistese #dorcervical #dornascostas



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo