COMO TRATAR LESÃO DE PANTURRILHA

A panturrilha, ou tríceps sural, é um conjunto de três músculos localizados na parte de trás da perna: gastrocnêmio, sóleo e plantar. Esses músculos se unem para formar o tendão de Aquiles e, então, se inserem no calcâneo, o osso do calcanhar. A principal função desta musculatura é de empurrar o pé para baixo, impulsionando o corpo em atividades como o caminhar, saltar ou correr. A musculatura será mais exigida quanto maior a necessidade de impulsão e explosão muscular durante os gestos esportivos.


Lesões da panturrilha

A lesão muscular que acomete a panturrilha ocorre comumente em esportes que envolvem corrida em alta velocidade ou aumento do volume de carga, aceleração e desaceleração, bem como durante condições fatigantes de jogo ou desempenho.



A ruptura do músculo da panturrilha é a mais comum em esportes que exigem aceleração rápida e frequentes mudanças de direção, como corrida, vôlei e tênis. Os sintomas típicos são rigidez, descoloração e hematomas ao redor do músculo lesionado.


Dos três músculos da panturrilha, o gastrocnémio é o maior, mais forte e o único que atravessa o joelho para se fixar no fêmur, o osso da coxa. É, portanto, um músculo bi-articular, enquanto que o sóleo e o plantar atravessam apenas o tornozelo. Em função disso, o gastrocnémio, e especialmente sua cabeça medial (interna), é o mais suscetível a lesões.


Sintomas da lesão muscular da panturrilha

No momento da lesão, o paciente refere a sensação de punhalada na parte de trás da perna, como se tivesse levado uma pedrada. O toque no local fica sensível. Inchaço e hematomas podem aparecer em poucas horas ou dias, dependendo da gravidade da lesão. O alongamento do músculo ou sua extensão contra uma força de resistência (levantar-se na ponta do pé, por exemplo) reproduzirá a dor no local da lesão muscular.


Nos casos mais leves, que por sinal são a maioria, o indivíduo pode continuar se exercitando com algum desconforto, mas eventualmente a dor vai piorando até que precise interromper a atividade. Nos casos mais graves, poderá não ser capaz de caminhar devido à dor.


Classificação

Grau I: Lesões leves, com ruptura de fibra muscular inferior a 10%. São as lesões mais frequentes. O paciente apresenta uma dor aguda é sentida no momento da lesão, mas há pouca ou nenhuma perda de força e mobilidade.

Grau II: Lesão moderada, com acometimento de até 50% das fibras musculares. Há uma clara perda de força e amplitude de movimento, dor acentuada, inchaço e muitas vezes hematomas. Grau III: Ruptura completa, geralmente na transição entre o músculo e o tendão. Dor, inchaço, sensibilidade e hematomas geralmente estão presentes. A perda da função é evidente. Pode ser indicado o tratamento cirúrgico.


Tratamento da lesão muscular da panturrilha

O tratamento inicial visa limitar sangramentos, dores e prevenir complicações. A crioterapia pode ser usada para diminuir a inflamação, dor e metabolismo celular. Pode ser aplicado um Tape ou enfaixamento para proteger a lesão. O uso de muletas pode ser necessário de acordo com a extensão da lesão. O uso de anti-inflamatórios por não mais do que três a cinco dias também deve ser considerado.

A fisioterapia deve ser iniciada assim que possível.


Passada a fase aguda, o objetivo é fornecer condições para que a musculatura cicatrize, ao mesmo tempo em que se minimiza a perda da força e da função da musculatura. Os exercícios são introduzidos gradualmente até o retorno esportivo pleno.


A expectativa de retorno para os esportes varia conforme a extensão da lesão:

• Lesões Grau I: 1 a 2 semanas;

• Lesões Grau II: 4 a 6 semanas;

• Lesões Grau III: 2 a 3 meses. 



ATENÇÃO

Se você tem dor, NÃO se auto-medique sem saber a causa das suas dores.

Não existe medicamento mágico, pomada, massagem, técnica revolucionária, exercício único! Esqueça isso!

Não existe receita de bolo, ou seja, cada paciente precisa de um tratamento específico para seu caso e por isso uma avaliação é fundamental!


Outra coisa, você pode até fazer um exame, mas não acredite em tudo que vai ler!

Leve este exame a um bom profissional que saiba ler e interpretar bem o laudo, mas faça PRINCIPALMENTE uma boa Avaliação Física utilizando testes Ortopédicos e Neurológicos com embasamento Científico! Só assim você vai tratar o que de fato te causa dor!

No passado as pessoas eram obrigadas a sofrer, pois estas patologias não tinham cura e nem TRATAMENTO. Mas as pesquisas e estudos avançaram e HOJE a Fisioterapia já está conseguindo ajudar a ELIMINAR as dores.


Aqui na clinica (ONE FISIOTERAPIA), realizamos esse processo e estamos colhendo muitos DEPOIMENTOS de pacientes que estão ficando cada vez mais satisfeitos com os resultados.

Clique AQUI para ver os depoimentos.


Está sofrendo com dor?

Então, comece pelo início.

Primeiro você precisa de um profissional totalmente comprometido com a metodologia. É importante saber sua formação e suas qualificações.

Faça uma visita ao Instituto escolhido para ver como se sente, se gosta do ambiente.

Você precisa se sentir à vontade, pois a sessão do Tratamento tem a ver não só com o bem-estar físico, mas também mental.


Marque também um Tele-atendimento. É a melhor forma de ter um primeiro contato com a técnica e o Especialista que irá lhe atender e mostrar seus exames, contar um pouco da sua história, das suas queixas, dos tratamentos que já realizou e não obteve sucesso e tirar TODAS as suas dúvidas.


Que tal agendar um Tele atendimento GRATUITO e conhecer melhor nosso método?

Acesse nosso site clicando aqui e agende AGORA seu atendimento!


#drgiulianomartins, #onefisioterapia, #crossfisio, #metodologiaone, #fibromialgia, #pilates, #quiropraxia, #fisioterapia, #dornojoelho, #dornoquadril, #ribeiraopreto, #curitiba, #dorcronica, #doraguda, #fisioterapiaesportiva, #quiropraxia #tendinitepatelar, #bursitedequadril, #lesaodemenisco, #artrosedejoelho, #artrosedequadril, #artrite, #tratamentodejoelho, #tratamentodequadril, #distensaomuscular #lesaodepanturrilha

2 visualizações0 comentário