OMBRO CONGELADO OU CAPSULITE ADESIVA

O ombro congelado, também chamado de capsulite adesiva, causa dor e rigidez no ombro. Com o tempo, o ombro se torna muito difícil de mover.

Após um período de agravamento dos sintomas, o ombro congelado tende a melhorar, embora a recuperação completa possa levar até 3 anos. A fisioterapia, com foco na flexibilidade do ombro, é a principal recomendação de tratamento para ombro congelado.


O ombro congelado afeta mais comumente pessoas entre 40 e 60 anos e ocorre mais em mulheres do que em homens. Além disso, as pessoas com diabetes correm um risco maior de desenvolver ombro congelado.



Anatomia

Seu ombro é uma articulação esférica composta por três ossos: o osso do braço (úmero), a omoplata (escápula) e a clavícula (clavícula). A cabeça do osso do braço se encaixa em uma cavidade rasa em sua omoplata. Tecido conjuntivo forte, chamado de cápsula do ombro, envolve a articulação. Para ajudar o ombro a se mover com mais facilidade, o fluido sinovial lubrifica a cápsula do ombro e a articulação.


Descrição

No ombro congelado, a cápsula do ombro fica mais espessa e torna-se rígida e rígida. Faixas espessas de tecido - chamadas aderências - se desenvolvem. Em muitos casos, há menos líquido sinovial na articulação. Os sinais característicos dessa condição são dor intensa e incapacidade de mover o ombro - por conta própria ou com a ajuda de outra pessoa.


Ele se desenvolve em três etapas:

Estágio 1: Congelamento No estágio de "congelamento", você lentamente tem mais e mais dor. À medida que a dor piora, seu ombro perde a amplitude de movimento. O congelamento geralmente dura de 6 semanas a 9 meses.


Estágio 2: Congelado Os sintomas dolorosos podem realmente melhorar durante esse estágio, mas a rigidez permanece. Durante os 4 a 6 meses do estágio "congelado", as atividades diárias podem ser muito difíceis.


Etapa 3: descongelamento O movimento do ombro melhora lentamente durante o estágio de "descongelamento". O retorno completo ao normal ou próximo ao normal, força e movimento normalmente leva de 6 meses a 2 anos.


Causa

As causas do ombro congelado não são totalmente compreendidas. Não há uma conexão clara com o domínio do braço ou ocupação. Alguns fatores podem colocá-lo em maior risco de desenvolver ombro congelado.

Diabetes

Ombro congelado ocorre com muito mais frequência em pessoas com diabetes. A razão para isso é desconhecida. Além disso, os pacientes diabéticos com ombro congelado tendem a ter um maior grau de rigidez que continua por mais tempo antes de "descongelar".

Outras doenças

Alguns problemas médicos adicionais associados ao ombro congelado incluem hipotireoidismo, hipertireoidismo, doença de Parkinson e doença cardíaca.

Imobilização

O ombro congelado pode se desenvolver após um ombro ter sido imobilizado por um período de tempo devido a uma cirurgia, uma fratura ou outra lesão. Fazer com que os pacientes mexam os ombros logo após a lesão ou cirurgia é uma medida prescrita para evitar o congelamento do ombro.


Sintomas

A dor do ombro congelado é geralmente opaca ou dolorida. Geralmente, é pior no início do curso da doença e quando você move o braço. A dor geralmente se localiza na região externa do ombro e, às vezes, na parte superior do braço.


Exame físico Depois de discutir seus sintomas e histórico médico, o médico examinará seu ombro. O médico moverá seu ombro com cuidado em todas as direções para ver se o movimento é limitado e se ocorre dor com o movimento. A amplitude de movimento quando outra pessoa move seu ombro é chamada de "amplitude de movimento passiva". Seu médico irá comparar isso com a amplitude de movimento que você exibe quando move o ombro por conta própria ("amplitude de movimento ativa"). Pessoas com ombro congelado têm amplitude limitada de movimento ativa e passivamente.


Testes de imagem

Outros testes que podem ajudar seu médico a descartar outras causas de rigidez e dor incluem:


Raios X

Estruturas densas, como ossos, aparecem claramente nas radiografias. Os raios X podem mostrar outros problemas no ombro, como artrite.


Imagem de ressonância magnética (MRI) e ultra-som

Esses estudos podem criar melhores imagens de tecidos moles. Eles não são necessários para diagnosticar ombro congelado, no entanto, podem ajudar a identificar outros problemas em seu ombro, como ruptura do manguito rotador.


Tratamento