COMO SABER SE TENHO BURSITE? QUAL EXAME FAZER?

A Bursite é a inflamação ou irritação de uma “bursa”. Esta é uma pequena bolsa localizada entre o osso e outras estruturas móveis, como músculos, pele, ou tendões. Ela permite e facilita um melhor deslizamento entre as estruturas.


Desde que as “bursas” estão localizados próximas articulações, qualquer processo inflamatório nestes tecidos moles será percebido freqüentemente por pacientes como dor na articulação e, equivocadamente como artrite.

Os sintomas são semelhantes:

* Dor e rigidez, agravadas por movimento. * Dor principalmente noturna. * Inchação local pode acontecer.


Qualquer bursa no corpo humano pode ser afetada, mas aquelas localizados nos ombros, cotovelos, quadris e joelhos, são as mais freqüentes.

Bursites são condições normalmente temporárias, mas podem se tornar crônicas e, ao contrário da artrite, elas não causam deformidade.



Entre as principais causas da bursite estão a repetição de movimentos (overuse), trauma e fraqueza muscular ou posições que causam danos às bursas. O risco para desenvolver uma bursite é aumentado conforme a idade. Mas é cada vez mais comum casos de bursite entre jovens por causa do uso prolongado de videogame ou celular.

Além disso, atividades esportivas, domésticas e laborais podem contribuir para o desenvolvimento do quadro.


Outras possíveis causas de bursite são condições de saúde, como artrite reumatoide, gota, infecções e lesões ou traumas na área afetada.


1. As bursas

Em todas as juntas do corpo, nas quais os tendões encontram os ossos e os músculos, existem as bursas, que têm a função de evitar o atrito entre essas estruturas. São cerca de 70 distribuídas por todo o organismo.

A bursa é uma espécie de almofada achatada composta de uma membrana recheada por líquido sinovial, lubrificante de aspecto viscoso, parecido com um óleo.


2. Inflamou, inchou, doeu

Movimentos repetitivos com as articulações – imagine alguém que corre ou joga tênis – podem deixar a bursa inflamada. Aí o corpo passa a produzir mais líquido sinovial, menos viscoso, e aquela bolsinha aumenta de tamanho. Além do inchaço, a inflamação gera dor e, às vezes, vermelhidão. O incômodo é mais intenso ao movimentar a junta ou mesmo ao apalpá-la.


3. Limitação de movimento

A bursite pode ser acompanhada de uma inflamação no tendão, o que costuma incitar um depósito de cálcio dentro de suas fibras. É o que se chama de tendinite calcária. Em algumas situações, o mineral se acumula também dentro da bursa. Esses depósitos de cálcio, mais comuns nos ombros e no quadril, podem, com o tempo, enrijecer a região e limitar movimentos.


As áreas que mais sofrem com a bursite

Ombros: estão entre os locais mais afetados. Costumam sofrer com a bursite ali pintores, nadadores, tenistas, entre outros atletas.

Cotovelos: não é raro que a bursite aqui venha com inchaço e vermelhidão. Tenistas e golfistas penam bastante.

Quadril: a inflamação nessa parte do corpo geralmente vem acompanhada de tendinite. Comum entre corredores.

Joelhos: movimentos repetidos, falta de alongamento e tempo demais ajoelhado abrem alas à encrenca. Mais frequente em atletas.


Medidas e tratamentos contra o problema

Repouso: tem que parar com a atividade que está provocando a bursite.

Gelo: compressas em baixa temperatura ajudam a reduzir o inchaço e a dor.

Anti-inflamatórios: aceleram o controle dos sintomas, sobretudo quando gelo e repouso não resolvem.

Fisioterapia: fortalece os músculos da região para não sobrecarregar as estruturas lesadas.

Aspiração: parte do líquido acumulado na bursa é extraída com uma seringa.

Cirurgia: a remoção da bursa via bisturi é a última e rara opção terapêutica.



Quer saber mais sobre Bursite de Quadril?

CLIQUE AQUI!


ATENÇÃO

Se você tem dor, NÃO se auto-medique sem saber a causa das suas dores.

Não existe medicamento mágico,