QUAIS OS SINAIS E SINTOMAS DA BURSITE?

A bursite é uma doença caracterizada pela inflamação das bursas, espécies de bolsas compostas por líquidos que estão localizadas nas articulações (pequenas bolsas que ficam entre ossos, músculos e tendões). Sua principal função é diminuir os atritos entre os tendões e os músculos sobre as proeminências ósseas. Mas se estiverem inflamadas podem causar dor e prejudicar a qualidade de vida.

E não, ela não afeta só os ombros. Essa lesão pode atingir e incomodar quadril, joelhos, pés e cotovelos. E tem, como principais causas, o envelhecimento e o uso repetitivo de determinadas articulações.



Entre as principais causas da bursite estão a repetição de movimentos, fraqueza muscular e posições que causam danos às bursas. O risco para desenvolver uma bursite é aumentado conforme a idade. Mas é cada vez mais comum casos de bursite entre jovens por causa do uso prolongado de videogame ou celular.

Além disso, atividades esportivas, domésticas e laborais podem contribuir para o desenvolvimento do quadro.


Outras possíveis causas de bursite são condições de saúde, como artrite inflamatória, artrite reumatoide, gota, infecções e lesões ou traumas na área afetada.


1. As bursas

Em todas as juntas do corpo, nas quais os tendões encontram os ossos e os músculos, existem as bursas, que têm a função de evitar o atrito entre essas estruturas. São cerca de 70 distribuídas por todo o organismo.

A bursa é uma espécie de almofada achatada composta de uma membrana recheada por líquido sinovial, lubrificante de aspecto viscoso, parecido com um óleo.


2. Inflamou, inchou, doeu

Movimentos repetitivos com as articulações – imagine alguém que corre ou joga tênis – podem deixar a bursa inflamada. Aí o corpo passa a produzir mais líquido sinovial, menos viscoso, e aquela bolsinha aumenta de tamanho. Além do inchaço, a inflamação gera dor e, às vezes, vermelhidão. O incômodo é mais intenso ao movimentar a junta ou mesmo ao apalpá-la.


3. Limitação de movimento

A bursite pode ser acompanhada de uma inflamação no tendão, o que costuma incitar um depósito de cálcio dentro de suas fibras. É o que se chama de tendinite calcária. Em algumas situações, o mineral se acumula também dentro da bursa. Esses depósitos de cálcio, mais comuns nos ombros e no quadril, podem, com o tempo, enrijecer a região e limitar movimentos.


As áreas que mais sofrem com a bursite

Ombros: estão entre os locais mais afetados. Costumam sofrer com a bursite ali pintores, nadadores, tenistas, entre outros atletas.

Cotovelos: não é raro que a bursite aqui venha com inchaço e vermelhidão. Tenistas e golfistas penam bastante.

Quadril: a inflamação nessa parte do corpo geralmente vem acompanhada de tendinite. Comum entre corredores.

Joelhos: movimentos repetidos, falta de alongamento e tempo demais ajoelhado abrem alas à encrenca. Mais frequente em atletas.


Medidas e tratamentos contra o problema

Repouso: tem que parar com a atividade que está provocando a bursite.

Gelo: compressas em baixa temperatura ajudam a reduzir o inchaço e a dor.

Anti-inflamatórios: aceleram o controle dos sintomas, sobretudo quando gelo e repouso não resolvem.

Fisioterapia: fortalece os músculos da região para não sobrecarregar as estruturas lesadas.

Aspiração: parte do líquido acumulado na bursa é extraída com uma seringa.

Cirurgia: a remoção da bursa via bisturi é a última e rara opção terapêutica.



Quer saber mais sobre Bursite de Quadril?

CLIQUE AQUI!


ATENÇÃO

Se você tem dor, NÃO se auto-medique sem saber a causa das suas dores.

Não existe medicamento mágico, pomada, massagem, técnica revolucionária, exercício único! Esqueça isso!

Não existe receita de bolo, ou seja, cada paciente precisa de um